H@ vida depois dos 60

…com pensamento, opinião e poesia em doses homeopáticas…

arquivos do mes de julho, 2006

amanhã

pensei que fosse independente
mas sempre dependi das minhas asas
e quando me sinto seguro
um medo insano me apavora
porque tudo o que é bom sempre acaba
ouvi dizer isso muito cedo
então minhas expectativas soam pessimistas
no meio do gozo intuo a dor subsequente
depois passa…
amanhã é sempre outro dia
e hoje não vai de todo mal…
o ontem?!
ontem mesmo já passou!…

pensado por Tarciso comente

A vida como ela é…

Flutuo sem muito interesse nas tardes mornas deste inverno. Poderia estar fazendo um milhão de coisas e percebo que não me concentro sequer na única que deveria exigir o meu empenho e atenção por estes dias. Vou frustrando reiteradamente o plano concebido a duras penas. Tenho andado distraído desperdiçando energias com frivolidades internéticas num labirinto sem fim de futilidades. Enquando isso avançam os ponteiros e se exaure o tempo previsto para o cumprimento da tarefa agendada. Daqui a pouco chega o dia do passeio e corro o risco de não conseguir dar conta do único compromisso que foge da rotina. A rotina cuida de si própria e feito um robô a vou cumprindo mecanicamente. A cada noite percebo que se foi mais um dia. Vou pra cama anestesiado e já nem me recordo dos sonhos. Mas se alguém pensa que isso é um lamento – se engana. Não lamento. Lamentaria por muitas outras coisas – jamais lamento essa displicência de caminhar de forma distraída. O meu piloto automático tem funcionado a contento. Mas eu tinha que relatar algo desse tempo para quando vier revisitá-lo e isso só vai acontecer quando hoje for ontem e amanhã se tornar um novo dia… Repito e friso com candura: a vida é mesmo bela!!!

pensado por Tarciso comente

Só porque entrou julho o calendário já não é mais o mesmo. Isso é de uma obviedade lancinante. Mas eu nem estou aí para manifestações ululantes. O que ando pensando sobre mim? Sou apenas mais um cidadão comum – graças a Deus – com nuances infantis e senis embora esteja no auge da meia idade. Serei eternamente uma criança enquanto caminho para a maturidade?! Não vou esquentar com isso porque, afinal de contas, já devia ter me acostumado… Enfim, novamente julho! Quantas vezes o meu relógio sazonal passou por esta estação na vida. Eu não estou tão diferente do que sempre fui a não ser no visual mais amadurecido. Cometo os mesmos erros – com menor intensidade – mas me sinto tão previsível quanto a isso. Rondam-me então as mesmas culpas e os mesmos desejos de redenção. Olho ao redor e o brilho do sol embeleza a minha vida – tenho que ser agradecido. Tudo vai bem e o tempo passa às vezes com celeridade e às vezes lentamente. Contudo, passa… Até quando irei e onde chegarei ainda é uma incógnita corrente. Tudo o que eu queria dizer por ora é que sou muito coerente até mesmo nas minhas eternas incoerências. Sou caminhante a caminho e mesmo não sabendo de quase nada, penso que conheço o meu destino! Só!

pensado por Tarciso comente