H@ vida depois dos 60

…com pensamento, opinião e poesia em doses homeopáticas…

gosto de isopor

Existem palavras que denunciam o estado de alma de uma pessoa e outras que ocultam. Hoje, último dia deste primeiro mes do ano amanheci na dúvida sobre quais delas usar. Mas não vou abusar da minha seleta “audiência”, pelo que despejarei palavras frouxas e sem qualquer compromisso de revelações secretas. Simplesmente deixo fluir meus pensamentos fragmentados num mea culpa e me arrasto nesta escrita compulsiva. Bobagem. Há que vencer a preguiça mental – certamente – mas também um vazio de criatividade instaurada nesse meu universo diminuto em relação ao qual uma parcela aqui exponho sem muito me expor. Ligeiro non sense e sensações de vertigem. Minha cabeça oca rodopia e navego demente por ilhas desertas descobrindo novos oceanos para além dos sete mares. Oitavo mar. A peneira dos meus afetos filtra o lance predileto que não vou contar. Mas tenho sentimentos. Apenas não os sei ainda ou não quero expressar. Até um bicho preguiça deve tê-los e contê-los. Ao rés do chão – gosto desta expressão – caminho cabisbaixo e sem pressa no barro grudento que me engole sorrateiramente dissolvendo e refazendo em um novo molde mais esguio. No mais é apenas um instante de loucura consentida antes que um grito ecoe das entranhas dilaceradas dos andantes que rosnam sorridentes propensos a me devorar. Deixa que eu vá ali me saciar de alguma coisa mais concreta antes que novos delírios roubem o rastro de lucidez residual que acaso ainda haja em mim. Só sei que agora tenho aquela fome inclemente e uma sede insana de bombas de chocolate ou d’algum mel açucarado. E basta!

pensado por Tarciso Comente   

Comente

Favor preencher seus dados e comentar abaixo.
Nome
Email
endereço de seu blog
seu comentário