H@ vida depois dos 60

…com pensamento, opinião e poesia em doses homeopáticas…

visão de mundos

Na visão de alguns
críticos e céticos
eu nada enxergo
e o meu corpo
é apenas um ponto
no universo
mas na minha ótica
o mundo à minha volta
rodeia o meu mundo
e lá no fundo
a roda do infinito
que une os dois mundos
no universo que conheço…

pensado por Tarciso comente    

banho letal

o vermelho pulsa
arruína contas bancárias
flameja na manchete
e flui fora das veias
lambendo a pele
encharcando a areia
contunde depois disso
ausência inexpressiva
e a fria palidez…

pensado por Tarciso comente    

senilidade braziliana

há muita estupidez
a preencher estúpidos
em suas ninharias
de arroubos pantanosos
e gozos infernais
horizonte pródigo
farinha dos ventiladores
patranhas brazilienses
dessa política tupiniquim
que escolheu viver
sob os tapetes
sobre as mutretas
sem os sabres da honra
desconhecida aos nossos
políticos senis
e nada samurais…

pensado por Tarciso (1) Comentário    

solar

a noite fria
antecede o dia
e não se sabe o que vem
o sol é esperado
e ele invariavelmente está lá
escondido
ou
explícito
o seu calor
ilumina
e segue a nossa sina
marcando a passagem do tempo
que pra ele passa muito devagar…

pensado por Tarciso (2) Comentários    

vazantes

no vácuo da noite
o animal no cio
em mergulho rústico
explora os vazios
e varia de humores
sem soar tambores
sem ver a fumaça
sem graça ou desgraça
virtude ou trapaça
suas patas deixam
marcas no caminho
até que explodam
instintos selvagens
e logo depois
prenúncio de sol
homem ocidental
lúcido e racional
retoma a rotina
inodora insossa
no raiar do dia

pensado por Tarciso (1) Comentário    

flashes

Como num flash inesperado, eu vi toda a poesia do mundo nas pétalas daquela rosa. A lágrima que rolou – não sei, – seria minha, seria da rosa, seria uma gota isolada caída dos olhos de Deus chorando as coisas criadas?!
Pensei no mundo, pensei na vida, pensei num pensamento sem fim e viajei perdidamente exasperado fazendo buscas interiores, das cores vivas ora esmaecidas, dos risos cristalinos ora reticentes, dos rostos mais lindos que iluminavam a vida da gente. Foi aí, num repente, como num flash inesperado eu vi… A imagem repentina feito uma seta certeira acerta a letra, a sílaba, a frase sorrateira que mergulha sob os sentidos e adentra o canto mais escondido onde se pode chorar enternecido olhando pétalas caídas.
E a imagem toi tão vívida e real que a impressão nunca se esvai e a rosa despetalada e as pétalas daquela rosa se tornam os meus versos, preenchem definitivamente meus universos com sua poesia escancarada…

pensado por Tarciso (1) Comentário    

madrugada

Apesar das nuvens cor de cinza e do ar úmido que penetra as entranhas até a medula, uma claridade alvissareira permite entrever o suave esplendor de um novo dia. Muitas vezes ouvi da boca de meus avós: não há bem que sempre dure e nem mal que nunca acabe. Se aproxima o momento de virar uma página, embora nos faltem algumas linhas a serem decifradas – na esperança de que as suas boas letras se confirmem – e para serem percorridas até o fim da madrugada…

pensado por Tarciso (2) Comentários    

ansiedades

Não sei direito se o mundo tem quatro cantos como às vezes se costuma dizer. Não sei sequer se há um único canto no mundo. Tenho ouvido muitos gemidos silenciosos e poucos risos genuínos. Tenho assistido tantas dores que até o meu sorriso costumeiro hoje está emudecido e o meu coração não quer alienar-se à quieta dor do meu irmão! Na sucessão dos fatos espero por um novo alvorecer que nos liberte dessa escuridão em pleno dia. A noite não demarca o tempo e o relógio soturno da madrugada insone parece disposto a não continuar dançando seus ponteiros na sucessão das horas, dos minutos, do tempo que falta para a nossa angústia terminar…

pensado por Tarciso (3) Comentários    

pequenos encantos

A finalidade desse canto é fazer dele uma reserva de encantamentos pessoais – tanto meus quanto dos demais. Presunção, alguns dirão. Não, disso não se trata. É porque o tempo passa e a ausência dos registros quase sempre decreta o esquecimento. Os meus encantos são muitos simples e nada grandiloquentes e quero me encantar com os momentos banais nos quais estive aqui rabiscando os sentimentos que geraram. Quero forçar-me a tecer registros sobre as circunstâncias, os fatos significativos ou insignificantes, importantes ou triviais. Quero também destilar alguma poesia a inspirar as vias dos raros transeuntes virtuais que se derem ao trabalho de passar por estes esboços marginais… Ouvi dizer que a escrita ganha autonomia ao escapar pelos dedos do autor. Que seja! Que meus garranchos desprovidos de grandeza cresçam ao olhar generoso da pequeníssima platéia que o vislumbra. Que a caprichosa junção de letras e palavras crie sentidos que provoquem no leitor alguma estima e empatia e ainda, se possível, o mesmo encantamento miúdo que desejam retratar…

pensado por Tarciso (4) Comentários    

tempo tempo tempo

é temporão
é temporal
dias ensolarados
e noites de luar
o relógio pregado na parede
marcando o tempo
vida
morte
ressurreição esperada
e o nirvana
à madrugada
para sempre reine o sol

pensado por Tarciso (1) Comentário