H@ vida depois dos 60

…com pensamento, opinião e poesia em doses homeopáticas…

parada

quem dera parasse o tempo
ao menos uma era inteira
e a gente então parisse
as correções das besteiras
e depois tudo prosseguisse
como se nada havido…

pensado por Tarciso comente    

riso cristalino

se não houvesse um fosso
e a força insone do fracasso
em que trôpego tropeço no teu laço
e me desfaço em lamúrias cordiais
a despertar o teu sorriso iluminado
ao que me esqueço do começo
e baila a mente à doce melodia
do teu riso matinal…

pensado por Tarciso comente    

2009 boas promessas

Os meticulosos encontram a beleza escondida nas pequenas coisas, já os desleixados não enxergam sequer a beleza do universo. Há quem seja tão detalhista ao ponto de se perder nos detalhes e há os tão universalistas que não enxergam com definição nada que lhes esteja a um palmo do nariz. Há gente de todo jeito. Há pessoas como eu e você e todos nós temos algo de bom a oferecer. Muitos fecham as mãos e o coração e ficam como que petrificados em si mesmos. Felizes daqueles que conseguem se desprender dessa armadilha egoísta e fazem a mesma reviravolta da lagarta liberta do casulo ganhando cores e asas de borboleta prontas para alçar os mais belos vôos. A vida tem nuances e reveses, tem vitórias e fracassos. Sem altos e baixos a comemorar e lamentar não se constrói uma história, não se desenham superações. Todos temos lições a dar e a receber e a maior delas em todos os sentidos é a humildade – no fundo, no fundo, nenhum de nós é nada sem os outros ao nosso lado. Mas de tudo o que existiu e existirá o que há de maior é o amor, e o mais excelso é amar o amor, amar sem temor, espalhar prodigamente o amor porque amar é viver…

pensado por Tarciso comente    

estopim em chamas

qualquer que seja o desfecho
não nos faltem apetrechos
em cantos de sobreviver
que a hora seja lânguida
e a mente seja cândida
ao corpo desfalecer
num mergulho infinito
naquele lugar bonito
de sonhos e fantasias
seja no fim do ano
seja no fim de tudo
se locuplete a memória
num louco piscar de olhos
estopim do provisório
chama do eterno ser

pensado por Tarciso comente    

adeliana

a mãe foi trabalhar
e nunca que voltava
um dia
um mês
a eternidade
só olhando a serra verde
esperava esperava
naquelas tardes de chuva
eu morria de saudades…

pensado por Tarciso comente    

Vó Iolanda (*10/11/1907 +16/11/2008)


Ela completou 101 anos no último dia 10 e seis dias depois foi-se embora pra fazer festa do lado de lá. Foi uma referência em minha vida e pensar na vó Iolanda é adentrar em lembranças de sorriso, alegria e celebração da vida. Por isso, não é um momento de lamentação o que a família vive – ela não aprovaria isso – é um momento de gratidão a Deus por nos ter dado essa jóia preciosa para estar conosco por tanto tempo. Ela sorriu vida afora, agora sorri na eternidade, e nós que aqui ficamos sorriremos de saudade…

pensado por Tarciso comente    

bosques da alma

divagam memórias em suave brisa
permeando enredos com suas ondas calmas
quantos se foram e jamais voltaram
talvez nos aguardem sem ansiedades
mas oh que saudades
das vozes, sorrisos
fisionomias meigas
marcadas, contidas
retratos da vida
nos bosques da alma…

pensado por Tarciso comente    

O que é bom, de verdade.

Palavras quase sempre são pronunciadas ao desejo de concretizar o abstrato ou de abstrair o concreto. As palavras que merecem ser ouvidas realmente fazem isso. As outras soam como ruídos inexpressivos e não se deve perder tempo em decifrá-las. Quando amamos escolhemos as palavras para acariciar a pessoa amada, quando odiamos desferimos as palavras feito setas tentando cravá-las no peito da pessoa alvo de nossa agressividade. Tais palavras assim desferidas geralmente ricocheteiam e voltam virulentas causando em nós mesmos as piores feridas. Não vale a pena o sentimento que as gera, não valem a pena palavras desta forma desferidas. Um bom conselho é cuidar-se, curar-se das feridas e esquecer, sem ódio, as pessoas que procuram transtornar a nossa vida… Só amar, verdadeiramente, vale a pena.

pensado por Tarciso (1) Comentário    

momento

estático confuso e pragmático
sem concessões me deixo rebocar
flutuo incerto o rio caudaloso
verdadeiro tsunami deste mar
mas o movimento é nas entranhas
plácido lago na superfície do olhar
as velhas perguntas sem respostas
martelam insistem sem jamais calar
como quando quem onde porque
quantos erros cometidos
quantas lutas perdidas
quantas vezes ainda
esse momento
e o lamento
só…

pensado por Tarciso comente    

reversos

vejo fantasias no âmago do real
vivo de desejos e ensejo passos
do vôo que só alço no campo imaginário
e aí aspiro o concreto no mais abstrato
fruto do contrato entre mim e o meu igual
que sou eu e o meu contrário do espelho
numa luta desigual
azáfama da vida
cumprida curtida fingida
sempre e nunca
em performances dissonantes
que revela ao próprio ser
o seu enigma vital
o que é
o que foi
o que será
ou não…

pensado por Tarciso comente