H@ vida depois dos 60

…com pensamento, opinião e poesia em doses homeopáticas…

água doce

Tá vendo aquele imenso rolo de fumaça e o enorme incêndio que consome a mata ressequida? Entretanto começou em minúscula fagulha, talvez, descuidadamente produzida. Contenha a chama antes do seu descontrole e não se consumirão em você todas as energias.
Tá vendo aquele jardim florido no quintal do seu vizinho? Ficou assim porque ele não se preocupou em ficar todo o tempo arrancando ervas daninhas, senão que também regou as suas belas flores.
Arranque as ervas daninhas que te envolvem e molhe a própria relva para que também o teu jardim viceje florido e encante os que te fazem companhia.
Não, esse não é um fórum de aconselhamento, com certeza, mas se água com adoçante não faz bem, é muito provável que também não faça mal e essas palavras aqui só foram arremessadas para o alto na tentativa de acertar e serenar a minha própria cabeça.

pensado por Tarciso comente    

sinfonia

Nas asas de uma sinfonia deixo-me arrastar sem saber dos próximos compassos. A intuição é minha companhia e comigo desliza sutil no imenso espaço aberto da imaginação. Movimentos suaves, íngremes, rústicos por vezes… um universo em expansão dentro de mim criando expectativas lúdicas de um gran-finale para essa melodia atemporal…

pensado por Tarciso comente    

fazendo valer a pena

Quem nunca teve dor de dentes?! Ou nunca apanhou um resfriado? O corpo padece dores físicas, a mente padece dores mentais e a alma desalmada sofre das dores de parto antes de gerar idéias novas capazes de fazer a vida valer a pena…

pensado por Tarciso comente    

dormência

A palavra amassa a massa cinzenta do crâneo sem brilho e o filho adota o pai imaginário que não teve, empalhado feito boneco de milho. É uma fase que não cabe numa frase e seu olhar dormente acorda num pingente dourado que o meticuloso anarquista comprou na feira hippie da praça da república. Sentado com o olhar esbugalhado, em êxtase o rapazola sorve um bagulho e rola sem saber pelas beiradas arranhadas se encharcando em delírios no fundo do poço onde em flashes redobrados ele esquece do seu pai adormecido na infindável paralela de dormentes sob os trilhos…

pensado por Tarciso comente    

dúbios sentidos

O registro dos sentidos é dúbio. A audição tem sido pessimista mas minha visão, paladar e olfato podem se gabar. O tato está em cima do muro embora o gozo costume ser bastante tátil – afinal a pele é o maior dos órgãos humanos. Na soma aritmética de todos os quesitos sensíveis e os intelectivos me dou conta que sou um irremediável otimista. Mas, pensando bem, não é melhor assim?!

pensado por Tarciso comente    

calvário

se revelasse todos os segredos
o que seria do encanto que nos atrai?
a curiosidade esmiúça o ego
o alter e o superego
e quando já nada mais resta
dissecado aos teus pés
te restará o chute solitário
e o calvário sem fim
um pra você
outro pra mim…

pensado por Tarciso comente    

como e porquê

pressiono os caracteres
distribuídos no teclado
tentando expressar
meus universos variados

retrato num espelho tosco
nuances do meu rosto desfocado
brinco comigo pra falar de mim
do pouco que conheço

sei o que ontem era
e o que hoje ainda sou
mas amanhã o que serei?
como?!
quando?!
e porquê?!

pensado por Tarciso comente    

caminhada

        Urgências e malemolências se alternam na rotina. Um plano bem elaborado ou intuitivo é seguido por todos e cada um. Não há como evitar. Até aquelas pessoas mais desorganizadas sabem quais passos deveriam dar para alcançar tal ou qual objetivo. Se a pessoa dá ou não aquele passo já não vem ao caso. Olhando ao redor vemos pessoas com ingredientes e predicados vários que parecem patinar apesar do esforço e outras que aparentemente não tem os mesmos recursos mas nadam de braçada na sua trajetória de vida. Minha tese para explicar estas aparentes incongruências se relaciona ao foco de cada um. Quem tem um olhar alçado para os seus objetivos imediatos e a médio e longo prazo sabe onde quer chegar, poupa energias e encontra atalhos para abreviar sua conquista das metas almejadas. Quem vive cabisbaixo tentando decifrar o próprio umbigo navega em círculos, sem rumo e às vezes na contramão. É preciso enxergar ao menos tres pontos do caminho: aquele do próximo passo, aquele mais longínquo que a vista alcança e aquele que supera a linha do infinito e é visto com o olhar da fé… Só a consciência dos passos no caminho, o olhar atento e o coração embevecido oferecem ao caminhante a força e a certeza de chegar.

pensado por Tarciso comente    

monólogo refletido

        E aí, tudo bem? Sério, tem horas que bate um tédio daqueles. Mas tudo certinho, fora alguns detalhes que não pesam e nem vale a pena reclamar. Uma pomadinha, um sorriso, um “me desculpe” e tudo bem. Mas a finitude da condição humana, certa compulsão consumista, as dúvidas metafísicas – tudo isso – fazem com que um cidadão se sinta as vezes engolido por um imenso ponto de interrogação. ¿O que será do amanhã? Do ontem não há muito o que falar porque já passou e do hoje é preciso esperar algumas horas para a gente se pronunciar que ninguém é de ferro pra responder algo assim de bate pronto. Por falar nisso, você percebeu como anda o tempo ultimamente? Instável feito bunda de neném. Mas isso é balela porque há uns quarenta anos eu já ouvia essa conversa. No fundo, no fundo, nada de muito importante muda na vida, exceto a fisionomia que, inclemente, o espelho esfrega na cara da gente…

pensado por Tarciso comente    

orvalho


fale por mim
furtivo orvalho
expresse meu silêncio
revele sob a florada
futura morada
sob as lápides
cobertas de pétalas…

pensado por Tarciso comente