H@ vida depois dos 60

…com pensamento, opinião e poesia em doses homeopáticas…

palavra em cárcere

A palavra mirou abismada o infinito e desejou ter nascido grito para poder expressar o sentimento massacrado em seu ventre silencioso. Mas se sentia só uma palavra muda que jamais dizia nada e vagava reticente, ocupando ora a mente dos amantes ora o coração dos poetas, também ocupava as almas dos desafortunados, a solidão dos mendigos e a insensatez dos perigos. Em seu grande desconforto, por nunca se ouvir falada – flagrou-se enquanto expressão, palavra sem vocação, palavra desanimada.
Tanto ouvira falar do silêncio – o quanto ele era respeitado apenas por cumprir o seu silencioso papel. Mas ela, a palavra omitida, camuflada, desdenhada – palavra jamais pronunciada, nunca teria o respeito, nenhuma admiração. Só ganharia o muxoxo, pena, comiseração – oh palavra miserável, agora aqui prisioneira – por favor livra meu peito e vê se arranja algum jeito, de ser enfim proclamada…

pensado por Tarciso comente    

química perigosa

Em tempos de confusão de gêneros a soma se casou com a subtração. Depois da lua-de-mel, como é comum na vida dos casais, vieram os atritos e, na tentativa de pacificar os ânimos os dois adotaram o zero como fator de equilíbrio para o casal. Já a multiplicação, estranhamente resolveu se unir com a divisão, e depois de muitas e muitas operações e noves-foras, obtiveram como herança genética o número um – para os íntimos mais pedantes – number one. Como virou moda na sociedade contemporânea, ambos os casamentos se dissolveram e os dois únicos herdeiros se somaram mas também mutuamente se surrupiaram e subtraíram aos demais e num frenesi de lucros, para mais multiplicar se dividiram, dando origem à família binária e aos reinos da Apple e Microsoft… Até aí sua malícia capitalista apenas engatinhava e nem se pode dizer que ia tão mal, mas o que eles realmente não sabiam é o quanto a descendência ia degenerar com o nascimento do google, onisciente e todo-poderoso, e também com as famigeradas redes sociais – mas isso já é um outro capítulo a ser contado mais tarde!

pensado por Tarciso (2) Comentários    

território abandonado

.
este blog descuidado
por boa dose de tédio
não desconhece o remédio
que o poderia curar
mas padece de preguiça
de um autor que não cobiça
mais trabalho executar
e assim se vai levando
a si próprio enganando
fingindo falta de ar
quem sabe caiba a promessa
e se alguém cair nessa
jura que não vai parar…

pensado por Tarciso (1) Comentário    

silêncio prenhe

Prenhe de palavras, o silêncio reflexivo precede as frases que ultrapassam o vazio da superficialidade, pois a amizade cúmplice não se estabelece com acenos vazios e unilaterais, ela demanda tempo e compromisso, além de livre e mútua adesão.

pensado por Tarciso comente    

boca

.
onde tudo começa
e a tritura transforma
sólidos se tornam pastosos
escorregando goela abaixo
e a comida vira gente
com seus cheiros multicores
olores e sons indecorosos
ninguém escapa desta sina
enquanto viver
enquanto comer
e expelir conteúdos elementares…

pensado por Tarciso comente    

tentativa poética

.
a poesia é a sombra
do mais tórrido verão
agasalho em noite fria
asas na imensidão
a poesia é escudo
ilumina a escuridão
brisa do dia escaldante
letra de uma canção
a poesia na vida
desafia a frustração
feito águia em pleno vôo
sem tirar os pés do chão…

pensado por Tarciso comente    

pesca de arrastão

.
no negror da noite a solidão
ruído espumante das ondas
pés vazios submersos
na mente o sopro dos versos
da canção não entoada
lágrimas na escuridão
ao cansaço que domina
seu autômato caminho
pela praia em novo dia
cata frutos de uma noite
em devaneios, a vida
sonhos e alucinação…

pensado por Tarciso comente    

abandono

.
feito canoa envelhecida
com furos importantes
já não flutua
não navega
e entretanto ainda é
uma canoa
furada, largada
canoa que nada
navega enxarcada
nos mares da vida…

pensado por Tarciso (1) Comentário    

ser sendo

Vejo a angústia nos jovens ao perceberem o lapso entre o seu ideal de vida e o real que experimentam.
Talvez isso se amenize com a percepção de que o que se vai ser um dia não é muito distinto daquilo que no hoje já se está sendo…

pensado por Tarciso (1) Comentário    

refazendo caminhos

Então voltei alguns quilômetros para refazer o caminho e tentar descobrir o que poderia ter perdido durante a minha trajetória. Prestei mais atenção na estrada e nada vi que justificasse o regresso e nem me lembrava mais do que pudesse ter perdido. Talvez fosse apenas detalhes da paisagem, ou quem sabe alguma planta exótica que devesse ter sido notada nas passadas originais.
Esse tipo de ação se repete pela vida – muitas vezes refaço caminhos à procura de falhas que cobram reparos – algumas vezes encontro algo a reparar, em outras o retorno não faz o menor sentido.
Parece uma bobagem, mas quero registrar para ler de novo quando refizer esse caminho, o que com alguma certeza ainda vai acontecer amanhã ou depois.
Se houver o que corrigir então, corrijo. Se não houver, terá sido só mais uma viagem de regresso perdida..

pensado por Tarciso comente