Todos somos convidados para a vinha do Senhor e como é bom responder sim a este convite tornando-nos operários conscientes e ativos na obra de evangelização. A Igreja peregrina e presente em toda a terra é constituída por todos os batizados que precisam a cada instante do alimento da Palavra e dos Sacramentos, especialmente a Eucaristia. Para tanto Deus vocaciona os seus ministros a quem confere a missão de anunciar e pastorear o seu povo. Os leigos são chamados a se tornarem também evangelizadores protagonistas e não meros pacientes da evangelização.

Formada de homens e mulheres a Igreja carece de templos para congregá-los em assembléias litúrgicas de louvor a Deus e formá-los na vida de oração. Os Ministros necessitam sobreviver dignamente e os templos – que são a casa de Deus entre os homens, além de sólida construção – merecem uma digna conservação e manutenção.

Assim como as nossas famílias e as nossas casas dependem de diversos recursos materiais e humanos, também a comunidade que é a família dos filhos de Deus, precisa destes recursos para manter o seu dinamismo e ampliar cada vez mais as fronteiras da nossa Igreja – afinal a Palavra de Deus convoca-nos a anunciar o Evangelho a todas as nações.

Não é possível que um membro da Igreja se sinta plenamente integrado ao povo de Deus enquanto não contribuir com parte de seu tempo, talentos e recursos – colocando-os em comum para o benefício de todos e para a expansão do Reino de Deus entre os homens. O Senhor nos chama insistentemente, desejando inflamar com chamas de amor a Sua Igreja e o mundo inteiro.

Diante desta amorosa vocação cada um de nós, cristãos, somos convocados a demonstrar a nossa fidelidade. Existem múltiplas formas de respostas possíveis, mas não há dúvida que entre elas “o Dízimo é o sim do dizimista!”


Por favor, para me ajudar a melhorar o conteúdo do site, manifeste seu elogio, sugestão ou crítica sobre este artigo – utilizando o formulário de comentários abaixo. E, ao comentar, informe também o nome de sua paróquia, cidade e estado. Muito obrigado pela colaboração!

8 respostas

  1. Muito bom sempre lembrar que o dízimo não é uma questão meramente financeira. Antes de tirar algo do bolso deve-se tirar do coração para doar a Deus. Dá muito trabalho convencer os paroquianos que o dízimo não se “paga”, se doa, se devolve.

    1. Prezado Manoel
      Agradeço seu comentário a respeito do artigo “O Dízimo é o sim do dizimista!” publicado em meu site sobre o Dízimo Católico. Que Deus abençoe a ti e aos irmãos de tua comunidade.
      Saudações fraternais.
      Luiz Tarciso

  2. Muito linda essa mensagem. Sugeri aos coordenadores das comunidades que leiam no momento do dízimo. Parabéns!

    1. Prezada Arline
      Agradeço suas palavras de elogio a respeito da mensagem “O Dízimo é o sim do dizimista!” publicada em meu site sobre o Dízimo Católico. Que Deus abençoe a ti e aos irmãos de tua comunidade.
      Saudações fraternais.
      Tarciso

  3. Parabéns pelo artigo. Ele pode ser trabalhado pelas equipes do dízimo na missa de 21 de setembro(amanhã).
    É de fácil entendimento e muito rico. Que Deus lhe abençoe e te inspire cada vez mais.

    1. Sueli
      Agradeço suas palavras elogiosas a respeito deste artigo publicado em meu site sobre o Dízimo Católico. Que Deus abençoe a ti e a todos os irmãos de tua comunidade.
      Saudações fraternais.
      Tarciso

  4. Olá,

    gostaria de parabeniza-los pelas matérias do site. As mensagens tem sido de grande importancia para o nosso trabalho dentro da Pastoral do Dizimo.

    Muito obrigado!

    Marcos – Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima – Botucatu

    1. Marcos Cesar
      Agradeço a gentileza do comentário elogioso sobre conteúdo do meu site sobre o Dízimo Católico. Que Deus abençoe a ti e aos irmãos da comunidade paroquial de N. Sª do Rosário em Botucatu/SP.
      Fraternais cumprimentos.
      Tarciso

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *